Pesquisa realizada pela ESPM-Rio aponta queda da produção do cinema carioca

Estudo feito pelo Laboratório de Economia Criativa, Desenvolvimento e Território mostra que, pela segunda vez desde 1995, São Paulo fica na frente do Rio

Rio de Janeiro, julho de 2017 – Com base nas informações passadas pela Agência Nacional de Cinema (Ancine) sobre os filmes nacionais lançados em cada ano, o coordenador do Laboratório de Economia Criativa, Desenvolvimento e Território da ESPM-Rio, João Luiz de Figueiredo realizou um estudo sobre a série histórica de 1995 até 2016. Segundo ele, historicamente o Rio de Janeiro desponta como o estado com a maior produção de filmes por ano. Despontava. Em 2016, pela segunda vez desde 1995, o Rio ficou atrás de São Paulo. Foram 48 produções cariocas contra 62 paulistas. Em terceiro lugar ficou o Rio Grande do Sul, com 6 produções. Outros estados somaram 27 filmes. A primeira vez em que este fenômeno se deu foi em 2014, quando São Paulo produziu 50 filmes nacionais e o Rio, 40.

Só em 2016, os filmes cariocas levaram 8.958.851 pessoas ao cinema. Já os paulistas, 18.694.025. A renda carioca foi de R$ 115.026.419,00 e a paulista, R$ 211.841.493,00. A renda nacional foi de R$ 344.139.271,61.

Segundo João Luiz de Figueiredo, existem algumas explicações para esta mudança.

“A criação da SPcine, em 2014, empresa de Cinema e Audiovisual de São Paulo pela prefeitura garante um aumento de produção e da distribuição do estado. Além disso, a partir de 2015 o orçamento da Riofilme tem sido reduzido a cada ano e sua atuação no setor foi restringida basicamente à distribuição. Em 2016 também tivemos o lançamento do filme “Os Dez Mandamentos”, que foi uma produção de São Paulo e foi o filme nacional que mais levou pessoas ao cinema”.

Ainda de acordo com o estudo, se for analisado o acumulado de 1995 a 2016, o Rio de Janeiro ainda é responsável por 48% da produção nacional. Já São Paulo aparece em segundo lugar, com 34%.

Segundo a análise do Laboratório de Economia Criativa, Desenvolvimento e Território, a maior parte da produção cinematográfica nacional está concentrada em filmes independentes (classificados no estudo como aqueles que não são distribuídos por uma major e não possuem co-produção da Globo Fillmes). Só em 2016 foram 110. No total, em 2016, foram lançados 143 filmes nacionais.

 

Debate sobre a Ancine

No dia 1 de agosto, às 18h30, a ESPM-Rio vai promover um debate sobre o mercado audiovisual brasileiro e a sua trajetória recente. O tema será “Desvendando a Ancine”, mesmo nome do livro de Vera Zaverucha (ex-Diretoria da Ancine), que vai participar do encontro juntamente com a Coordenadora do Audiovisual da Secretaria de Estado e Cultura do Rio e também professora da ESPM-Rio, Lia Bahia. O evento é gratuito e será na sede da ESPM-Rio, na Rua do Rosário, 90. As inscrições devem ser feitas através do site www.espm.br/eventos .

 

 

DESVENDANDO A ANCINE (gratuito)

Local: Rua do Rosário, 90

Horário: 18h30

Inscrições: pelo site www.espm.br/eventos